O que tem debaixo dos caracóis dos seus cabelos? VOCÊ!!!! – por Camila Moreira – Psicóloga CRP 06/123888

Nos último tempos venho me surpreendendo com a quantidade de crianças e adolescentes assumindo seus cabelos ondulados, cacheados ou crespos naturais.

No meu último passeio a um shopping , observei muitas garotas com seus lindos cabelos crespos esbanjando beleza por ai. Eram grupos de meninas de todas as idades dos 13 aos 18 anos.

A cada cabelo “Black Power” que eu olhava, mais admirava a beleza e a coragem daquelas garotas em assumirem ser quem são. Estavam ali, representando elas mesmas. Representando uma geração que quer se assumir. Quer liberdade de expressão. Mulheres que não querem se submeter a um padrão imposto.

girl-945765_1280

O padrão é serem elas mesmas! Como no trecho da música Máscara da Pitty: “O importante é ser você”.

Essas imagens evocaram em minha memória, lembranças da minha infância e adolescência. Eu sempre tive cabelo cacheado. Era (e ainda é) muito cabelo. Um dos meus primos me apelidava de Gal Costa, cantava pra mim: “Meu nome é Gal. Meu nome é Gaaaalllll.” Eu, claro, naquela época  detestava ser comparada a ela. Vivia brigando com ele. Era pequena e não tinha maturidade suficiente para entender que ser comparada com a Gal deveria ser um grande privilégio. Uma das mais belas vozes do Brasil, suas músicas falam das belezas naturais, do Brasil, de Amor e das Mulheres. Já nos anos 80, representava a verdadeira mulher brasileira.

Era realmente difícil assumir o cabelo que eu tinha. Queria cortar franja, como minhas amigas, e cortei. Mas a franja enrolou e foi parar no meio da testa. Queria cortar o cabelo no ombro e cortei. Mas ele ficou armado, parecendo um abajour. Queria fazer muitas coisas e fazia. Mas o resultado não me agradava.

Na adolescência cheguei a pensar que não conseguiria arrumar nenhum namorado por causa do meu cabelo (grande engano). Por isso, fiz algumas químicas, para alisar um pouco, ainda assim, não me sentia bem. Passei a dizer para todo mundo que eu queria ter nascido com o cabelo liso, como não nasci, iria assumir o cabelo que tinha. Mesmo assim, adorava olhar as mulheres de cabelo liso, passar a mão em seus cabelos sedosos. Enquanto no meu, os dedos enroscavam nos nós que ele dava.

Foi difícil, mas eu não desisti e gastei muito dinheiro com cremes e produtos para domá-lo. Porém, sentia-me sozinha nessa estrada de assumir meu cabelo natural. Era difícil encontrar algum cabeleireiro, por exemplo, que soubesse lidar com meu cabelo cacheado. Eles logo me perguntavam se eu não queria alisar. Também era difícil encontrar meninas que gostassem de seus cabelos cacheados e quando encontrava, pouco tempo depois já estavam alisados.

O tempo foi passando e eu convivendo com as dificuldades. Amando o cabelo num dia e detestando no outro.

Há uns dois anos, num momento de transição da minha vida e ainda vendo a quantidade de mulheres de cabelos lisos, eu pensei em alisar. Achei que era a hora de assumir um cabelo liso e me sentir realmente feliz comigo. Foi quando, numa tarde de domingo, encontrei na internet uma Youtuber já muito famosa no mundo dos cachos, Rayza Nicácio.

Rayza criou um canal no Youtube em Fevereiro de 2011, hoje já possui mais de 1 milhão de inscritos. Nos seus vídeos, conta sua história de aceitação do cabelo crespo. Também fornece dicas de como cuidar dos cabelos, quais produtos usar, qual penteado fazer, etc.

Enfim… foi amor à primeira vista. Desde então, venho acompanhando ela e outras blogueiras cacheadas que me ajudam a entender e assumir cada vez mais o meu cabelo.

curly-hair-1806272_1280

E tenho certeza que foi essa onda de aceitação divulgada pela Internet que tem incentivado milhares de garotas a assumirem seus cachos, a espalharem a beleza cacheada e crespa que vem da nossa raiz negra.

Esse é um ponto positivo da Internet, a possibilidade de qualquer um dividir sua história e buscar motivação ao ajudar. É uma via de mão dupla, elas se ajudam e ajudam aos outros.

A reflexão que quero deixar é: Não importa o padrão que a sociedade te imponha. Não importa se o seu cabelo é liso ou crespo. Ser você é muito melhor e mais fácil do que tentar ser o que você não é.

Isso não se resume apenas ao cabelo, mas à cor de pele, ao formato do corpo, classe social, orientação sexual e tudo o mais que faz você ser quem realmente é.

beautiful-women-1806280_1280

Pense nisso e….assuma-se!!!!

Abraços Coloridos.

Amores Líquidos – por Bruna Terra – Psicóloga CRP 06/127703

A necessidade de liberdade acompanhada do medo da liberdade do outro. A insegurança de se entregar acompanhada pelo desejo de total entrega do outro.

A necessidade de tranquilidade – acompanhada de uma constante expectativa em relação ao outro.

Essas são apenas algumas das diversas dualidades que as atuais relações humanas contemplam. Todos esses conflitos mentais – que em sua maioria não têm reais fundamentos – geram inquietações e decepções incessantes nos relacionamentos modernos.

amores-liquidos

Desapaixonar-se tornou-se tão fugaz quanto apaixonar-se. Afinal, são tantas as opções que os meios tecnológicos me dispõem! Enquanto eu mantenho uma conversa com aquela pessoa no whatsapp, troco mensagens pelo facebook com outra. Espero ansiosamente por uma resposta rápida, mas caso nenhuma me corresponda, ainda tenho aquela outra pessoa com quem estou trocando SMS’s…

A superficialidade das relações humanas gerou um conjunto de laços e indivíduos “descartáveis”. Se algo não está bom: descarta! Mas o que nunca vem à nossa mente é que o caçador também pode se tonar caça. Lidar com diversas pessoas descartáveis o torna, da mesma maneira, descartável.

Estas relações são reflexos da sociedade em que vivemos e não podemos anular ou ignorar este fato. Mas podemos  reavaliar nossos comportamentos e atitudes. Recuperar aspectos positivos de tempos passados não é necessário mas, redefinir valores e colocá-los em prática já é um bom começo para fortalecermos possíveis vínculos sociais.

Abraços Coloridos,

bruna

Psicóloga apaixonada pelo atendimento clínico e suas multifacetas. Acredito que fazendo o que nos faz sentido, nos tornamos felizes dia a dia.

Bruna Terra – Psicóloga

CRP 06/127703

 

Você é uma pessoa que desperdiça talentos? – por Camila Moreira – Psicóloga CRP 06/123888.

Reconheça se você é uma pessoa que desperdiça talentos. Alguém que não consegue aproveitar seus recursos financeiros nem emocionais. Aquele que não usa o tempo aos seu favor.

Confira no texto de hoje 5 situações para você identificar se é alguém que desperdiça seus talentos.

Dia desses estava eu, voltando da terapia (espanto!).

O que? Você não sabia? Sim, psicólogo também faz terapia. Bom, mas isso não vem ao caso neste texto.

Continuando, eu estava dirigindo por uma avenida muito movimentada aqui na cidade de Santos, quando me deparei com algumas bexigas coloridas voando bem no meio do asfalto.

Alegrei-me quando vi, mas logo entristeci, pois as rodas do meu carro acabaram passando por cima de algumas e elas estouraram. Ainda consegui olhar pelo retrovisor e vi que outras duas sobreviveram, pulavam com o vento, indo de um lado a outro. Mas estavam no lugar errado, na hora errada e logo acabariam “atropeladas” por outro carro.

Que desperdício de talento – pensei – as bexigas tão lindas e coloridas, poderiam estar decorando uma festa de aniversário, a inauguração de uma loja ou até mesmo um leito de hospital. Poderiam levar vida, dar alegria. Porém, no meio do asfalto apenas provocariam a morte.

Morte delas mesmas, ou morte de alguém, causada por um acidente.

O talento que deveria ser utilizando para alegrar estava ali perdido. Arriscando a vida, desperdiçando, se acabando e morrendo aos poucos.

Situações como essas do dia a dia podem nos ajudar a refletir sobre o que fazemos com nossa própria vida. Você já parou pra pensar se tem aproveitado seus talentos? Já pensou se não anda desperdiçando tempo ou dinheiro com coisas que não valem a pena? Você tem arriscado a sua vida?

Pensando nisso, selecionei cinco situações em que você possa identificar se tem desperdiçado seus talentos:

1 – Quando você usa toda a sua energia para resolver o problema de outra pessoa, por exemplo, você está perdendo tempo. Portanto, desperdiçando seus talentos!

2- Se você tem um emprego que não gosta, reclama todos os dias quando vai trabalhar, não sente prazer nenhum no ambiente de trabalho, nem na atividade que você exerce. Atenção! Você está desperdiçando seus talentos!

3 – Você continua namorando aquele garoto/garota que não te valoriza, que cobra demais e não retribui. Sabe que esse relacionamento não vai dar em nada e inclusive chega a pensar que esta num relacionamento abusivo, mas não consegue sair dele. Atenção! Você está desperdiçando seus talentos!

4 – Se você arrisca sua vida, bebendo até cair, se drogando por ai, transando com qualquer um que apareça. Atenção! Você está desperdiçando seus talentos!

5 – Se você já percebeu que faz um pouco de tudo isso, mas não consegue parar. Atenção!!! Você está desperdiçando seus talentos.

Identificar se você é uma pessoa que desperdiça talentos é o primeiro passo. Não é fácil reconhecer que desperdiçamos aquilo que temos de melhor e que nos esforçamos muito para ter.

Após o reconhecimento, pare e pense em outras situações que sugue as suas energias, que o impeça de crescer e se desenvolver. Cuide melhor de você, cuide melhor daquilo que você possui de mais valioso: VOCÊ MESMO!

E se mesmo assim você perceber que não consegue aproveitar seus talentos, procura ajuda de um psicólogo. Faço o que for preciso para ser bexiga alegrando uma festa de aniversário, e não uma bexiga no meio da estrada.

Abraços Coloridos.

 

A namorada do meu ex – por Bruna Terra – Psicóloga CRP 06/127703

Relacionamentos vem e vão, e é inegável que em grande parte deles, por mais que se tenha terminado, há uma certa sensação de “posse” ou mesmo de curiosidade acerca “do que ele está fazendo”, ou a curiosidade sobre ele já estar com outra, ou até…” será que sente minha falta, ou sofre por mim?”

Pois é, por esses e outros pensamentos, quando o término é traumático e envolve um sentimento de mágoa e de extrema rejeição, temos a tendência em apresentar grande dificuldade na ideia de que EX é EX e há vida além de nós, ou seja, não é porque o relacionamento entre vocês terminou, que ele ou você, nunca serão felizes com mais ninguém. Mas colocar em prática não é tão fácil assim….

Por esse motivo, elaborei algumas dicas para que você esqueça de vez o EX, a atual dele, e seja muito mais você!

RESPEITE O LUTO: Toda separação precisa ser elaborada. Se foi você quem deu o primeiro passo para o término, e está certa e tranquila com isso, tudo pode ser mais fácil. Agora, quando estamos do outro lado, ou seja, não queríamos, mas acabou! A dor é muito grande, e a vivência dessa gama de sentimentos que envolve: raiva, tristeza, sentimento de rejeição, frustração, dentre outros, deve e tem de ser vivida. É justamente quando nos permitimos sentir todas essas emoções, e as encaramos de fato, que nos tornamos mais fortes e maduras para nos refazermos dessa situação.

ELIMINE SEUS CONTATOS: Quando a decisão do término é de ambas as partes, e desgastados fazem-na de forma consciente e amigável, ótimo! Tudo fica mais tranquilo, e lidamos com mais facilidade com essa nova identidade social que não inclui o parceiro. Agora, quando a decisão foi unilateral, a chance de dor ao acompanhar o ex nas redes sociais, ou falar de vez em quando ao telefone, trocar esporádicas mensagens, etc, pode alimentar esperanças vazias e ser torturante. Portanto, procure se desconectar dele em todos os meios possíveis ( facebook, whatsapp, etc), dessa forma será mais fácil apropriar-se de sua própria vida, sem a sombra de alguém que neste momento não quer e não está com você!.

NÃO SE TORTURE: Nada de ficar relendo e-mails, conversas no whatsapp, fotos de viagens românticas e muito menos aquele cartão lindo de aniversário de namoro que você ganhou há 2 anos atrás! Esquece essa história de cheirar roupas antigas dele que ficou na sua casa, ou mesmo ligar e desligar para o EX apenas para ouvir a sua voz! Essas atitudes só a farão sofrer mais e mais, e principalmente, você estará revivendo algo que já foi, e está no passado! Bola para frente!

RETOME ATIVIDADES: Lembra do que você fazia antes da relação e que não faz mais? Se recorda de alguma coisa que você amava fazer e foi deixando de lado porque a relação não permitia, ou não sobrava tempo? Pois bem! Agora você pode e consegue retomá-la! Mesmo que haja um lado enorme seu, querendo ficar isoladinha no cantinho da cama, force-se a sair disso! Resgate essa atividade, fará muito bem para você!

REENCONTRE AMIGOS E FAMILIARES: O namoro ou o casamento a fez se afastar de alguns amigos? A rotina da relação não dava espaço para você curtir seus amigos como você gostaria? Que tal agora dar asas a isso? Ligue para aquela amiga querida que acabou se perdendo no espaço, resgate amigos da faculdade, do ex trabalho, familiares de outras cidades… Tudo isso ampliará horizontes e ocupará sua mente, além de claro, abrir “novas oportunidades…”.

EVITE FOFOCAS DO EX: Sim, claro! Sempre tem aquela amiga que mal a vê e já quer lhe confidenciar as últimas quentinhas do seu EX. E lá vai você ansiosa ouvir todo aquele falatório… Pare já! Para quê? Para se debulhar em lágrimas? Cada um segue a sua vida e pronto! Quando a amiga, a cunhada, ou quem quer que seja, tentar o telefone sem fio, dê um chega pra lá!. Pode acreditar que mais que a curiosidade é a sensação horrível de ouvir uma série de coisas, e não saber e nem poder fazer nada com aquilo.

EVITE ENCONTRÁ-LO: Pelo menos enquanto a sombra do ex ainda a perturba, procure evitar locais dos quais costumavam ir juntos,lugares em que exista grandes chances de encontra-lo, ou mesmo lembrar-se dele e da relação. Explore novos lugares, novos ambientes, essa é uma fase nova e exclusivamente sua! Fase de descobrimento e redescobertas.

ELE ESTÁ COM OUTRA: Até que você tentou, mas não conseguiu, a informação chegou até você… Ele está com outra! Assim que soube, sentiu um frio na espinha e o estomago parece ter saído pela boca! Pois é…, faz parte, se ainda não conseguiu se libertar nas memórias e sentimentos pelo ex, essas sensações podem mesmo permear a sua alma. Então, se o emocional não ajuda, apele para o racional. Fale para si mesma diversas vezes: “Não estamos mais juntos!”, “Não estamos mais juntos” e procure não buscar mais informações sobre a nova relação dele.

NÃO FAÇA COMPARAÇÕES: Faça o possível para não se comparar com a atual do ex. Não importa quem é mais gorda, mais magra, mais bonita, ou quem tem o melhor emprego. A vida é dele, vocês não estão mais juntos. Procure se ajudar, não fique procurando fotos ou mesmo informações acerca desse momento de vida do cara. Esse comportamento irá feri-la mais e mais e não a levará a lugar nenhum, apenas contribuirá para a aniquilação de sua autoestima.

NADA DE PERSEGUIÇÃO: Nem pense em seguir a moça nas redes sociais, insistir em espionar as fotos dela, as dele, e ainda espionar cada passo do casal. A profissão de detetive não é a sua, e você tem muito mais o que fazer do que isso! Aceite que a relação terminou, não insista em viver uma vida que não lhe pertence. Aproprie-se do seu universo, com toda certeza será muito mais interessante vive-lo, do que viver uma história da qual você não faz mais parte!

A FILA ANDA: O que podemos tirar de melhor quando descobrimos que o EX está com outro alguém, é que a fila anda. E se andou para nós, andará para ele também! Por isso, procure tirar proveito dessa situação e entender que se ele pode ser feliz com outra pessoa, sinal de que esse amor não era tudo isso que você pinta e que você pode sim, ser muito ou mais feliz também. Só depende de você, e de um empurrãozinho que você poderá dar à si mesma!

DÊ MOVIMENTO A SUA VIDA!: Mesmo que falte um pouco de energia, entenda que um esforcinho inicial será necessário, mas logo você passará a gostar das consequências. Busque nos amigos e familiares apoio para movimentar-se, faça exercícios, trace planos, projetos, que tal programas semanais, como jantares, encontros com amigos, e situações que a façam se divertir e desviar a atenção de um passado que não lhe pertence mais? Quanto mais a energia estiver voltada para outros focos, mais esse vínculo se enfraquecerá, e logo as novidades da atualidade e as tantas coisas que você estará envolvida, não dará espaço para dores, e sofrimento de uma relação que não existe mais.

PERMITA-SE CONHECER PESSOAS: Se não estiver preparada para um novo relacionamento, respeite isso. Mas conhecer pessoas não inclui necessariamente namoros ou casamentos. Apenas deixe as pessoas chegarem até você e também chegue até elas. Converse, dê risada, troque experiências, permita-se ser paquerada, e porque não paquerar também! Pode ter certeza que a autoestima agradecerá, e muito. Liberte-se para uma nova etapa, e vá em busca da sua felicidade, com muito mais bagagem, autoconhecimento, e principalmente consciência e experiência relacional, para o melhor aprimoramento de suas escolhas amorosas e de si mesma.

Abraços Coloridos,

bruna

Bruna Terra:  Psicóloga apaixonada pelo atendimento clínico e suas multifacetas. Acredito que fazendo o que nos faz sentido, nos tornamos felizes dia a dia.
Bruna Terra – Psicóloga CRP 06/127703